Departamento de Ciências Sociais

Apresentação

A história de criação do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Amazonas remonta à década de 1970, nos anos de chumbo da Ditadura Militar. A política de qualificação de seu quadro docente na década de 1980 e seguintes, contribuiu decisivamente para uma compreensão crítica da Amazônia, tomada como elemento com força heurística para avançar as ciências sociais. 

Em 1987, por meio de resolução da Universidade Federal do Amazonas foi criado o Curso de Graduação em Ciências Sociais, com habilitação em Bacharelado e Licenciatura Plena. A primeira turma iniciou no anos de 1989. 

A qualificação de seu quadro docente em estudos avançados e a cristalização das linhas de pesquisa nas áreas de trabalho e sociedade, meio ambiente e sustentabilidade e pensamento social brasileiro, bem como a experiência social, historicamente acumulada, possibilitaram as condições objetivas para a criação, em 2007, do Mestrado em Sociologia e a consequente ampliação da pesquisa no Departamento de Ciências Sociais.


 

Notícias e Eventos

XII SEMANA DE CIÊNCIAS SOCIAIS

A XII Semana de Ciências Sociais se propõe, através de uma série de eventos encadeados, discutir problemáticas ligadas à profissão de cientista social. Compreendendo sua amplitude dentro das diferentes esferas de desenvolvimento, seja ela acadêmica profissional ou das formas cada vez mais voláteis e complexas com as quais se baseiam e permeiam as relações no mundo contemporâneo. Pensando em um evento plural e transversal, tanto na escolha dos temas abordados quanto do público participante, a semana de ciências sociais tem a pretensão de ser um evento relevante para docentes, discentes e demais participantes da comunidade. O evento será realizado durante cinco dias e contará com a presença de alunos e professores do curso, bem como com palestrantes de outras instituições da região Norte.

VENHA E PARTICIPE! 

Site para inscrição:
https://doity.com.br/xii-semana-de-ciencias-sociais


MOÇÃO DE REPÚDIO

Vivemos tempos sombrios. É inerente à formação da sociedade capitalista, a constituição de um pensamento, segundo o olhar da classe que vive do trabalho, marcado pelo reacionarismo. A manifestação do fascismo é a expressão exacerbada deste reacionarismo, agora em condição de irracionalidade. No caso da sociedade brasileira, estruturalmente formada, conforme apontou o pensamento sociológico dos fundadores da sociologia no Brasil, assentado no horror-pânico que as elites têm dos subalternos, o solo para o reacionarismo de corte fascista tem solo fértil para prosperar. Nos dias correntes, a exacerbação do ódio contra tudo àquilo que nega a perspectiva do fascismo, do autoritarismo, está presente em todos os lugares. Inclusive na Universidade.

A universidade Federal do Amazonas não passa ao largo desta conjuntura. A demonstração de intolerância contra as matrizes do pensamento crítico tem se manifestado de forma física e simbolicamente violenta. O professor Paulo Pinto Monte, do Departamento de Filosofia, foi o último alvo da intolerância.

Ao ministrar aula sobre o filósofo Aristóteles, o professor foi interrompido por um estudante que, no corredor, acusava outras colegas de serem "comunistas" e as adjetivava com palavras de baixo calão. Diante da reação do professor, que saiu em defesa das estudantes, o jovem passou a atacá-lo por ser comunista, e a atacar sua honra e a difamá-lo com tratamento discursivo torpe.

Fenômeno comum dessa época de ascenso das ideias mais rebaixadas do reacionarismo, o ataque verbal violento, mentiroso, caluniador, se esquiva de reconhecer a materialidade da história. O ataque ao professor Paulo Monte é a expressão da miséria do pensamento. É a negação da história de um docente cuja carreira acadêmica está intimamente ligada à resistência à Ditadura Militar, ao extermínio dos povos indígenas, e pela defesa da democracia e da universidade pública. Tal ataque expressa que o ofício de professor novamente é alvo da censura e da perseguição política.

Em face disso, o Departamento de Ciências Sociais vem a público declarar veemente repúdio à violência a qual foi submetida o professor Paulo Monte e se posicionar contrário a qualquer interdição/censura que ameace o pensamento crítico e a liberdade de cátedra.


Departamento de Ciências Sociais

Manaus, 11 de outubro de 2018.

  • Resultado da Seleção de Monitoria 2017/2:

 Na Secretaria do DCiS já está disponível o resultado da seleção para monitoria em disciplinas do curso de graduação para o segundo semestre.